High Line: em 20 imagens, entenda por que locais visitam o parque ao entardecer

Uma multidão de gente pode acabar ou diminuir muito o nível de agradabilidade de um passeio. Ainda mais nas férias, certo? Times Square sem ninguém, já imaginou? World Trade Center sem filas, Shake Shack ou Burger Joint sem esperar nenhum minuto? Não seria muito melhor? Pois bem, vamos nos ajudar, pessoas! É o seguinte: há alguns passeios bem tradicionais em Manhattan que podem – e eu diria que devem – ser feitos à noite, depois que a muvuca passou.

Quem vem a Nova York sabe bem que está vindo para a cidade que nunca dorme. Pelo menos foi o que Sinatra disse… Sinatra mentiu, ok? Mentiu e a sorte é nossa. Já já explico. Antes, vamos esclarecer que Nova York dorme, sim! A cozinha de muitos restaurantes fecha às 23h. Trabalhadores dormem cedo porque levantam cedo. O único que realmente não dorme é o metrô, que funciona 24 horas por dia. Sorte a nossa, novamente. O que quero dizer é que: se a cidade dorme parcialmente, você que está a passeio pode aproveitar o lado insone de NYC.

output_hqww8z

O Empire State, por exemplo, fica aberto até a 1h da manhã. Não é um belo programa? Jantar e depois olhar a cidade à noite, sem fila, sem tumulto? A Times Square tem um quinto das pessoas após a meia-noite. É como se você tivesse ganhado um acesso quase exclusivo a um dos pontos turísticos mais movimentados do mundo. Fora que o contraste das luzes à noite é bem mais impactante do que durante o dia. A terceira dica é o High Line, o parque suspenso do West Side. O High Line é uma das soluções urbanas mais bem sucedidas de Manhattan. O antigo trilho do trem virou um parque/jardim/galeria a céu aberto. Nesta época do ano, fica aberto até as 22h e, no verão, vai até 23h. A Carol Matzenbacher tirou estas fotos lindas do lugar no cair do dia, só para vocês sentirem um gostinho.

De lá, da para ver o cair da tarde no Hudson, a cidade mudando de cor e o melhor de tudo: é possível realmente enxergar o parque, suas flores, suas instalações artísticas. Durante o dia, é tanta gente que muita coisa passa despercebida.

257a0914
A Carol começou o passeio pela rua 30 com a 11ª avenida. Foto: Carol Matzenbacher
257a0923
Lá de cima, a gente já vê a cidade em um tom alaranjado. Foto: Carol Matzenbacher
257a0934
A arte de Jordan Betten está no High Line desde 2013. Foto: Carol Matzenbacher
257a0945
É lindo ver nossos prédios favoritos do alto do High Line. Foto: Carol Matzenbacher
257a0967
A escultura Smart Tree, de Nari Ward. Foto: Carol Matzenbacher
257a0976
Ver o parque com o céu cor-de-rosa é ainda mais lindo. Foto: Carol Matzenbacher

257a0978257a0979

257a0980
O mural de Barbara Kruger ficará exposto até março de 2017. Foto: Carol Matzenbacher

257a1014257a1018

257a1027
Ver essa rua significa que chegamos no Chelsea. Foto: Carol Matzenbacher

257a1030

257a1066
Ao anoitecer, as ruas vão ficando mais calmas. Foto: Carol Matzenbacher
257a1101
O restaurante Terroir é a opção para tomar um drinque no fim do dia no High Line. Foto: Carol Matzenbacher

257a1113

257a1135
Os trilhos que contam a história do High Line. Foto: Carol Matzenbacher
257a1140
Dá pra enxergar até New Jersey acendendo as luzes. Foto: Carol Matzenbacher

Horários

01/12 a 31/03 – das 7h às 19h
01/04 a 31/05 – das 7h às 22h
01/06 a 30/9 – das 7h às 23h
1/10 a 30/11 – das 7h às 22h

Advertisements

Candice Carvalho

Candice Carvalho vive em NY desde 2008. É jornalista, faz parte da equipe da Globo News nos EUA e estuda Relações Internacionais na Universidade de Nova York.

Submit a comment

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s